Linha do tempo voltar

A Piraquê completou 65 anos em setembro de 2015. Quem viu a fábrica do Rio nos anos 50 não imagina que hoje ela tenha mais de 3.500 funcionários, e toda sua produção de biscoitos, massas e margarinas controlada por computadores. Alta tecnologia também no laboratório de controle de qualidade, desde a matéria prima até o produto final. Tudo isso para garantir que o produto chegue fresquinho a mais de 60.000 postos de venda só no Estado do Rio. 

Agora, você pode acompanhar aqui tudo o que de mais importante aconteceu desde 1950, para a Piraquê e para o mundo. Nossa Linha do Tempo especial mostra como começou e como algumas coisas não mudaram em 65 anos: 

A qualidade e a dedicação da Piraquê.

História da Piraquê
1950
1960
1970
1980
1990
2000
2010

• Em 1950, começa a construção da fábrica da Piraquê em Madureira, zona norte do Rio. No mesmo ano, é inaugurada em São Paulo a TV Tupi, o primeiro canal de televisão do país.

• Em 1953, é inaugurada a fábrica de biscoitos da Piraquê. A primeira produção é de salgados.

• Em 1957, a produção da fábrica se diversifica com as massas. Agora a Piraquê também faz espaguete e talharini.

• Em 1958, na Suécia, o Brasil ganha sua primeira Copa do Mundo de Futebol.

• Em 1960, a década começa com a inauguração de Brasília.

• Surge em 1966, o roladinho Goiaba, um dos produtos Piraquê mais vendidos até hoje.

• O Brasil Conquista o Tri na Copa do Mundo no México, em 1970.

• Em 1970, a Piraquê inova ao instalar o primeiro forno turbo radiante.

• 1979, a Piraquê dobra sua capacidade de produção de biscoitos, com a instalação dos 2 maiores fornos do Brasil.

• A Piraquê inaugura, em 1980, seu gráfico, responsável pelas embalagens de biscoitos e massas.

• Em 1980, surge a linha de margarinas Piraquê.

• Em 1988, Ayrton Senna conquista seu primeiro título na Fórmula 1.

• Em setembro de 1990, pouco mais de um ano após a queda do Muro de Berlim, as duas Alemanhas se tornam uma só.

• A Piraquê recebe o Prêmio de Qualidade e Excelência Empresarial nos anos de 93, 95, 96 e 99, pela Fundação Getúlio Vargas.

• Toda a produção de biscoitos e massas é automatizada em 1999, após 2 anos de investimentos.

• A Piraquê faz 50 anos, exportando toda sua qualidade para os Estados Unidos e Japão.

• Brasil levanta, em 2002, a taça do Penta na primeira Copa disputada na Ásia (Coréia do Sul e Japão).

• Em 2006, a Piraquê recebe o Prêmio de Qualidade e Excelência Empresarial FGV pela 5ª vez.

• Em 2007, a Piraquê lança mais um sucesso para o seu portfólio – a linha Lámen.

• A Piraquê moderniza sua logomarca em 2009 e inicia um processo de redesign de todas as suas embalagens.

• A Piraquê completa 60 anos.

• A Piraquê cresceu, lançou vários produtos de sucesso, se modernizou, mas sem perder a sua tradição, o sabor e qualidade que todos conhecem!

• Ainda em 2010, a Piraquê adquire mais um forno industrial de alta qualidade.